Livro 4/52 – Maybe in Another Life, Taylor Jenkins Reid

Avaliação: 5 de 5.
352 páginas – finalizado em 10/02/2021

Hannah é uma jovem mulher que precisa dar um jeito na bagunça que está a sua vida. Com 29 anos, não tem um emprego estável, já mudou de cidades mais vezes do que se lembra e acabou de terminar um relacionamento com um homem que descobriu que era casado. É no meio dessa confusão e com a necessidade de sentir que pertence a algum lugar que ela volta para Los Angeles, sua cidade natal, a pedido de sua melhor amiga, Gabby

Chegando em L.A., Hannah acaba reencontrando seu primeiro namorado Ethan, na primeira saída para reencontrar velhos amigos Hannah precisa decidir entre voltar para casa com Gaby ou ficar no bar com Ethan. Nesse momento a história se divide e as duas opções acontecem, em capítulos intercalados ficamos sabendo o que acontece em cada escolha e o desenrolar dessa escolha.

Ambos os caminhos são difíceis, com altos e baixos, por um lado, ela sofre um acidente e acaba precisando reaprender coisas básicas como andar, por outro lado, ela descobre uma gravidez não planejada.

Acompanhar a história de Hannah e seu desenvolvimento é delicioso, uma leitura leve, fluida e emocionante. Ela sempre fala de como as coisas acontecem da forma que têm que acontecer e, no final, me peguei acreditando (ainda mais, pois sempre acreditei nisso) que é verdade, o Universo tem nosso destino traçado e as coisas acontecem, porque têm que acontecer.

O último capítulo é bastante emocionante, o segundo marido de Gaby explica a teoria dos multiversos, em que todas as coisas que podem acontecer acontecem simultaneamente. Então, quando você joga uma moeda ela não cai virada cara ou coroa ela cai cara e coroa, cada possibilidade abre um novo universo e, no caso de Hannah, os dois universos gerados a partir de uma simples escolha têm finais felizes maravilhosos e emocionantes.

Recomendo fortemente a leitura desse livro! Com certeza, entrou na lista dos meus preferidos, inclusive, essa autora é incrível e o outro livro que li dela, Amor(es) Verdadeiro(s), é maravilhoso também.

Sobre o desafio e algumas dicas

Olá,

Fazendo uma pausa nas resenhas e comentários dos livros, vou falar um pouco da experiência.

Hoje começa a 4ª semana do ano e começo o 4º livro também, o escolhido dessa semana é “Cartada Final” de John Grisham, foi o livro do mês de setembro da TAG inéditos. É um suspense muito bem avaliado e eu estou ansiosa para começar a ler.

Esse último livro foi terminado aos 45 do segundo tempo, essa semana me enrolei e não consegui manter o ritmo diário de leitura e quase não consegui terminar o livro a tempo. Felizmente o final é eletrizante e fiquei tão hipnotizada que não consegui largar.

Construir e manter o hábito de leitura não é tão fácil, ainda mais com tantas distrações disponíveis (hello, smartphone e redes sociais), mas também não é tão difícil assim. Resolvi compartilhar algumas dicas para quem quer começar ou retomar as leituras.

  1. Leia todos os dias! – Sim, essa é a dica mais importante. Consistência é o segrego para a construção de hábitos, então leia um pouquinho todos os dias. 20 minutos é suficiente para começar.
  2. Escolha livros que te interessem. – Se você não suporta ler os clássicos, não inventa de começar lendo Dom Casmurro ou Orgulho e Preconceito. Normalmente a linguagem é mais rebuscada e pode ser desmotivador para quem não está acostumado ou prefere uma narrativa mais dinâmica.
  3. Descubra o melhor horário do seu dia para ler. – Antes de dormir, durante o café da manhã, no caminho para o trabalho… Teste e descubra o horário que funciona para você.
  4. Estabeleça metas! – É uma delícia o sentimento de cumprir uma meta, então trace suas metas de leitura, que tal ler por 20 minutos? Ou ler 10 páginas por dia?
  5. Compartilhe a leitura com seus amigos. – Compartilhar é sempre um ótimo negócio, que tal montar um grupo de leitura?

Vamos começar a semana com tudo e colocar em prática essas dicas?

Tem mais alguma dica, compartilha comigo!

Até a próxima semana e espero que vocês tenham uma semana incrível!

Beijos,

Débora C.

Livro 3/52 – (Im)Perfeição – 356 páginas

Avaliação: 4.5 de 5.
356 páginas – finalizado em 24/01/21

Sophie Fields é uma jovem de 24 anos que acabou de se formar e retornar para sua cidade natal, Forest Hill. A história começa devagar, uma boa ambientação e apresentação dos personagens, Sophie é uma protagonista um pouco chata, mas seus problemas e dilemas geram identificação com o leitor.

A vida na pequena cidade parece bem normal, amizades, namorados, brigas entre irmãs entre outras banalidades da vida cotidiana, até que o terror retorna à cidade. Depois de 2 anos o Maníaco do Pântano retorna fazendo novas vítimas.

Sophie se vê no meio dessa confusão ao ser a pessoa a encontrar o primeiro corpo. As vítimas do Maníaco são cruelmente machucadas e marcadas, os corpos preparados com cuidado e sempre colocados no pântano da cidade.

Depois de encontrar a primeira vítima, Sophie fica determinada a encontrar o Maníaco e começa uma investigação paralela à da polícia. Aos poucos essa investigação começa a se tornar obsessiva e, à medida em que novas vítimas aparecem, Sophie se isola ainda mais e fica mais determinada a encontrar o culpado.

O desenrolar da história é natural, a leitura é fluida e gostosa. Particularmente fiquei com muita raiva das escolhas de Sophie, mas é interessante ver o que a obsessão pode causar em uma pessoa, mesmo a melhor das intenções pode causar consequências terríveis.

O assassino é descoberto e, apesar de não ser uma grande surpresa, só fica claro quem é no fim do livro, seus motivos são chocantes e a carta final deixada pelo Maníaco me deu arrepios.

Gostei muito da leitura e da história. Uma publicação independente de uma autora brasileira que merece ser mais conhecida e lida pelos fãs de suspense.

Livro 2/52 – Teto para Dois, Beth O’Leary

Avaliação: 5 de 5.
400 páginas – finalizado em 15/01/21

Tiffy e Leon são personagens encantadores, não são perfeitos e é isso que os torna ainda mais verossímeis.

Depois de um término traumático e sem muito dinheiro, Tiffy toma a decisão de dividir um apartamento de apenas 1 quarto, sendo que o outro morador estaria em casa apenas nos horários em que ela estivesse no trabalho.

É uma história pouco convencional, uma relação que começa e se constrói por meio de bilhetes espalhados pelo apartamento dividido.

O livro é narrado em primeira pessoa intercalando o ponto de vista dos dois protagonistas, então é interessante ver como cada um reage com os diversos acontecimentos.

Gostei bastante da forma que a temática de relacionamento abusivo foi abordada, é um assunto sério e que foi bem explorado, porém de uma forma leve em que acompanhamos e torcemos para que Tiffy consiga se livrar do ex.

O desenvolvimento é tão completo e detalhado que deixa a sensação de um final corrido e escrito às pressas para terminar logo. Acredito que poderia ter sido melhor desenvolvida a resolução dos problemas.

Uma comédia romântica deliciosa de ler que, com certeza, vai ter um lugarzinho especial na minha estante e no meu coração.

Livro 1/52 – Só Queria Que Você Soubesse (livro I) (Série Só 1), Binha Cibelle

Avaliação: 2 de 5.
507 páginas – finalizado em 08/01/21

Uma leitura leve e fluida. É muito fácil se identificar com a protagonista Mina, uma brasileira que se mudou para a Coréia, em todos os momentos conseguimos perceber a mescla das duas culturas e como os personagens lidam com essas diferenças              

Morar na Coréia não é tão fácil quanto esperado, mas é uma aventura recheada de boas surpresas como o romance de Mina e Min Ho. É um romance bem clichê com um início inesperado e fofo e que em pouquíssimo tempo se torna um amor verdadeiro e intenso.

O desenrolar da história é um pouco lento e cheio de reviravoltas, particularmente senti que poderia ter tido um aprofundamento maior na história passada da Mina, sendo que o passado se mostrou tão relevante para o presente.

Personagens secundários ganham bastante destaque e eu adorei a Maria Eduarda e como ela se revela uma pessoa maravilhosa, mas, novamente, o desenvolvimento foi bem rápido, de uma menina traumatizada e isolada socialmente ela se torna uma ótima e desenvolta amiga em pouco tempo.

A chegada das crianças na história foi bem repentina e levou a trama para uma direção que eu nunca esperaria, mas que dá um toque ainda mais doce.

No geral é uma história interessante. Li a versão digital e é gritante que o livro precisa de uma boa revisão ortográfica e gramatical, até mesmo uma revisão quanto à continuidade, pois alguns trechos são confusos e parecem deslocados. A falta de revisão torna a experiência da leitura um pouco desagradável, mas não compromete a história.

Existe uma continuação, mas não me prendeu o suficiente para ler o próximo livro.

Desafio 52 em 52

2021 começou! E começou também o desafio de ler 52 livros em 52 semanas!

1 livro por semana é uma meta ousada, mas estou disposta a tentar o desafio e compartilhar aqui tudo sobre a experiência: os livros que eu li junto com suas resenhas e notas, listas de leitura, dicas e muito mais!

Antes de começar a falar sobre os livros em si, vou falar um pouco de mim…

Meu nome é Débora, sou apaixonada por livros, desde que eu me lembro nunca parei de ler e menos ainda de escrever.

Claro que a vida adulta dificultou bastante a manutenção desse hábito e, de repente, eu me vi lendo muito pouco e escrevendo menos ainda… Claro que essa constatação me deixou bastante triste, por isso, comecei no ano passado a retomar esses hábitos e hobbies que sempre me fizeram muito bem.

E é por isso que eu me propus esse desafio, passeando pelas redes sociais vi alguém que concluiu o desafio e leu 52 livros nas 52 semanas de 2019 e por um momento pensei que fosse impossível! Como alguém pode conseguir ler 1 livro por semana? Ou melhor, como alguém que trabalha, estuda e cuida da casa pode conseguir ler 1 livro por semana?

A matemática é muito fácil, na verdade, se tivermos o hábito de ler 1 ou 2 horas por dia, é mais do que possível ler 1 livro por semana. Inclusive, existem diversos aplicativos que ajudam nesse processo, o que eu tenho usado é o “Cabeceira”, desenvolvido pela TAG, é bastante útil para registrar as leituras e acompanhar e monitorar o andamento da leitura; é possível, inclusive programar um lembrete para a hora da leitura.

Quem quiser me acompanhar nessa aventura, pode comentar e falar sobre as dificuldades, indicar livros e pedir recomendações.

Sim, já estamos na 3ª semana do ano, mas minhas leituras estão em dia! Só estou atrasada com as postagens!

Inclusive, devo lançar nas próximas semanas um podcast sobre esse desafio, leituras e um pouquinho de tudo, quando tiver mais informações eu posto aqui.

Beijos,
Débora C.